Escolha uma Página

 Marcelo Moreira



Ciro Pessoa tinha uma postura otimista perante a vida e encarava percalços com serenidade e certa dose de bom humor. Mas, de certa forma, parecia ter um pouco de pressa neste ano de 2020 destroçado pela pandemia de cocid-19.

A banda Flying Chair, da qual fazia parte, tinha planos interessantes, mas sabia que tudo girava em torno do mentor. A doença interrompeu os planos de Pessoa, abatido no primeiro semestre pelo vírus, quadro agravado pelo tratamento de um câncer. Com sua morte, os projetos foram momentaneamente interrompidos.

E coube a um dos mais inquietos e desbravadores do underground musical brasileiro retomar os trabalhos de lançamento de um CD que a banda vinha elaborando havia meses. Fernando Ceah, cantor e guitarrista da banda Vento Motivo, também capitaneia a Curumim Records, que abraçou o projeto.

O álbum é uma releitura de várias fases da carreira de Pessoa, que foi integrante dos Titãs entre 198 e 1984. Será a trilha sonora de um documentário sobre a carreira do músico e escritor. 

“Quem é Ciro Pessoa?” tem a direção de Wladimir Cruz e apoio da Blue Screen Of Death Filmes. Entre os entrevistados estão a atriz Grace Gianoukas e parceiros musicais como Branco Mello, Fê Lemos (Capital Inicial) e o próprio Ciro, que não fugiu das perguntas mais complicadas.

“Considerei esse um projeto extraordinário e que tinha de ser finalizado, não só pela minha amizade com o Ciro, mas pela importância que ele teve enquanto músico”, explica Ceah.

Responsável apenas pelo suporte do CD, que foi produzido pelo experiente Guilherme Canaes – que trabalhou com Pessoa produzindo o álbum do Cabine C, em 1986 -, Ceah e a banda escolheram como primeiro single do trabalho “Toda Cor”, que será lançado em 18 de setembro. Ceah é o convidado especial na música.

Como produtor executivo, Fernando Ceah exalta as qualidades do trabalho do amigo. “Sou fã de rock nacional e me encantei com a geração dos anos 80. Eu lia o nome dele nos encartes dos discos e ficava admirado de ver como aquela mente criava canções espetaculares. Jamais imaginei que fosse conhecê-lo pessoalmente um dia e, quem diria, ficamos amigos e cantei com ele em disco e em shows.”

Ciro Pessoa é o quarto da esq. para a dir. (FOTO: DIVULGAÇÃO)

A trilha sonora do documentário é um verdadeiro passeio pelo underground (ou nem tanto) do rock nacional dos últimos 35 anos, já que visita todas as fases da carreira de Ciro ´Pessoa.

“Babi Índio” e “Toda Cor” são da época dos Titãs. Há uma música inédita, “Casa Nave Espacial”, com uma letra bem diferente e interessante, além da releitura de “Onde Estou?”, da banda Muzak. Da carreira solo, os destaques são “Mulher Ampulheta” e “No Meio Da Chuva Eu Grito Help”.
O álbum e do documentário devem ser lançados em 30 de outubro em um evento online, com a exibição de trechos do filme e com a execução de algumas das músicas pela banda Flying Chair.