Escolha uma Página

Inocentes (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– No próximo dia 27 de novembro, o 52’s Rock Bar, localizado em São Bernardo do Campo, recebe para uma única apresentação os Inocentes. Um dos grandes nomes do punk rock nacional e pilar do movimento que influenciou muita gente, a banda promete arrebentar os neurônios do público. Ainda mais que o habitat natural dos Inocentes é o palco e voltar aos eventos presenciais, ceifados pela pandemia durante 18 meses, é motivo de comemoração. E comemorar é a palavra de ordem para o quarteto liderado pelo guitarrista/vocalista Clemente Nascimento. Os caras  completam em 2021 quarenta anos de estrada e 35 do lançamento de  “Pânico em SP”, um de seus discos mais emblemáticos. A importância de “Pânico em SP” é tremenda, pois além de ter sido considerado o 6º melhor álbum de punk rock do Brasil, pela Revista Rolling Stone, traz alguns dos maiores clássicos do gênero em nosso país. Letras críticas contra o sistema, de cunho político e evidenciando a enorme desigualdade social são marcas não apenas desse trabalho, mas de toda a obra de Clemente Nascimento e sua trupe. Completam a atual formação dos Inocentes Ronaldo Passos (guitarra), Anselmo Monstro (baixo) e Nonô (bateria). No setlist dos caras não devem faltar canções bacanudas como “Rotina”, “Ele Disse Não”, “Não Acordem a Cidade”, “As Verdades Doem”, “Rota de Colisão”, além de “Pânico em SP”. O esquenta fica por conta da banda Subviventes e o 52’s Rock Bar seguirá todos os protocolos sanitários como álcool em gel para o público, uso de máscara, sendo recomendado apresentar a carteira de vacinação contra a Covid-19. (Por Nelson Souza Lima)

SERVIÇO

Inocentes – Comemorando 40 anos de estradaAbertura: Subviventes

Dia 27 de novembro – 21 horas52′ s Rock BarRua Olegário Herculano, 192, Vila Dayse – São Bernardo do Campo, SP Ingressos: R$ 35,00

– A banda Dona Mag lançou um single ao lado do lendário vocalista das Velhas Virgens, Paulo de Carvalho. A união não poderia deixar de ser em uma música sobre bebidas: “Litro de Rum”, um dos grandes hits do grupo. A versão original da faixa faz parte do aclamado álbum Magna Carta, o último da banda. O vocalista Rui Ventura comenta sua relação com o trabalho de Paulão: “Eu sempre curti demais o trabalho das Velhas Virgens. Gosto destas letras e deste rock escrachado. A comédia que eles fazem é incrível”. O frontman da Dona Mag conta como a parceria se concretizou: “A parceria surgiu a partir de um show que fomos convidados para abrir. Entrei em contato com o Paulão pelo Instagram, ele me mandou um email, conversamos e mandamos a música. Ele curtiu demais e disse: ‘vamos fazer, vamos gravar’. No dia deste show, ele veio antes para a cidade e passou a tarde toda conosco, e gravamos”, relembra Rui. O próprio Paulão comentou, da sua maneira característica, o trabalho da Dona Mag quando o ouviu pela primeira vez: “Senti até o gosto do rum. Adorei”. O vocalista das Velhas Virgens ainda acrescentou: “Parede sonora respeitável, vozes ótimas e solo muitíssimo legal”, finalizou.

– Após ser um dos destaques da segunda edição do festival online beneficente “Hard Power United”, realizado nos dias 9 e 10 de outubro no canal Alma Hard no YouTube, o Dirty Glory informa o encerramento de suas atividades. O grupo paulistano de hard rock sai de cena promovendo o álbum “Miss Behave”, que superou as expectativas e vem sendo elogiado pelos fãs e pela mídia. “Saio de cena confiante e orgulhoso de tudo que fizemos nestes dez anos, sempre com o coração na ponta da chuteira. A gente canta o que a gente é! O Dirty Glory existiu para dar vida à música que habita nos nossos ouvidos e nos conectar com quem pensa como a gente ou passou pelo que passamos”, comentou o guitarrista Reichhardt. “Uma alegria de ter feito parte dessa história, ter ajudado a criar esse trabalho que fica para sempre, e feito amigos que levarei pra vida toda. Só tenho a agradecer”, acrescentou o vocalista Jimmi DG. Os músicos fazem questão de deixar claro que uma despedida não precisa necessariamente ser algo triste. O baterista Sas recorda que um terço de sua vida foi junto ao Dirty Glory. “Foram dez anos, um terço da minha vida. Tive a oportunidade de realizar um dos meus maiores sonhos junto aos meus melhores amigos e pessoas incríveis. Foi perfeito”.