Escolha uma Página
Pitty (FOTO: DIVULGAÇÃO)

 

– “É um resgate de identidade, é uma retomada. É uma ocupação de uma coisa que é nossa, que é nossa cultura. Porque é isso: ou você respeita a existência ou espere resistência.” – com essa declaração, Pitty abre o documentário “MATRIZ.doc”. O filme foi capitaneado por Otavio Sousa, que além de já trabalhar com Pitty há muitos anos, é amigo dela e da equipe, e por isso mesmo consegue trazer à público a intimidade do estúdio, das conversas, dos comentários divertidos, das alegrias dos encontros e trocas, que em geral ficam só nos bastidores. “MATRIZ.doc” é muito mais do que o making of das gravações do álbum “MATRIZ” (Deck/ 2019). O filme tem recorte biográfico, traz imagens do início da carreira de Pitty e ela mesma contando sua trajetória, visitando lugares fundamentais em Salvador como o Café Calypso, onde encontrou o ex-proprietário Jean Claude. Eles, junto com o guitarrista Martin, lembram como eram os shows da casa nos anos 90 e sua importância na cena soteropolitana. Otavio também documentou vários dias das gravações do álbum, incluindo quando Pitty recebeu no estúdio Lazzo Matumbi, Larissa Luz, Nancy Viegas e os integrantes do BaianaSystem Russo Passapusso, Roberto Barreto e SekoBass. Trechos de entrevistas da cantora e compositora na ocasião do lançamento também estão filme, que será exibido pelo canal GNT play em 7 de outubro, à meia-noite.

Chuck Hipolitho acaba de lançar, pela gravadora Deck, um single duplo com as canções “Mais Ou Menos Bem” e “Tudo Está” e seus respectivos clipes. O vídeo da primeira delas, uma versão de “Más O Menos Bien” (Santiago Barrionuevo), da banda argentina El Mató a un Policía Motorizado, traz a imagem do sol batendo na janela de Chuck. “Era como eu me aquecia no inverno da quarentena. Essa janela e essa paisagem foram as imagens que eu mais vi quando estava gravando então achei legal fazer o clipe e a capa desse jeito” – conta ele. “Tudo Está” também é uma versão de uma música da trilha sonora do desenho “Hora de Aventura” (Frederator Studios/ Cartoon Network), do qual Chuck é fã tanto da obra quanto da trilha. Originalmente gravada como “Everything Stays” (Rebecca Sugar), sua letra, também na nova versão, aborda a perenidade das coisas. “A única constante é a mudança. A música fala um pouco disso”, completou. O clipe é uma compilação de imagens da rotina de todos que participaram do álbum de alguma forma. Depois que Chuck recebeu os vídeos, a equipe da Alien_Dupla editou. A gravação do single, assim como do disco “Mais Ou Menos Bem”, foi feita em casa pelo próprio Chuck, que cantou, tocou guitarra e programou as baterias do repertório. O baixo e teclados de “Tudo Está”, assim como de algumas outras músicas do álbum, foram gravados por Guilherme Almeida, baixista de Pitty e parceiro de longa data em vários outros projetos. Depois de tudo gravado o material foi finalizado no Estúdio Tambor (RJ).

– A banda Jequitibás, de São Paulo, lançou o seu álbum de estreia, autointitulado. Para gravar, quando ainda nem tinham escolhido o nome da banda, se isolaram no estúdio Canto da Coruja, em Piracaia, no interior de São Paulo e, ao lado do produtor Ricardo Prado, registaram em menos de uma semana as 7 músicas que compõem o repertório. Composições, arranjos, timbres e mixagens moldados numa atmosfera vintage reverenciam ídolos eternos como The Who, Rolling Stones, Mutantes e Secos & Molhados. “Metamorfose”, “Deserto”, “Pólvora e Marasmo”, “Martelo”, “Peixe-Guá”, “Partido Feudal” e “Windie Bad Trip” possuem cada uma sua própria identidade, porém juntas – e conectadas pela mesma vibe – formam uma unidade. Ouça o álbum: https://ditto.fm/jequitibas.