Escolha uma Página

 

The Mönic (FOTO: DIVULGAÇÃO)

– Uma das músicas de maior repercussão da banda The Mönic, “Maldizer”, acaba de ganhar um videoclipe feito através de filtros do Instagram. A música fala sobre angústia e crise existencial, experiências vividas pela vocalista e guitarrista Dani Buarque. Para compor o clipe, produzido pela própria banda, as integrantes gravaram cada uma em sua casa. Depois Dani editou e a baixista Joan Bedin cuidou da pós-produção. A faixa “Maldizer (Acoustic)” faz parte do EP “Refúgio”, gravado inteiramente à distância e que será lançado pela Deck ainda esse mês. Veja em https://www.youtube.com/watch?v=pDqdf8aj_Wg

– A banda paulistana Entidade Blues lança seu primeiro single “Um Belo Blues” através do selo Tratore que o disponibilizou em todas as grandes plataformas de streaming como Spotify, Deezer, YouTube, entre outros. A banda Entidade Blues é formada por Dudé (vocal), Bruno Panichi (guitarra), Ricardo Ventz (bateria) e Gil Corrêa (baixo). Ouça “Um Belo Blues”: YouTube: https://youtu.be/lnL_ubPrlsI

– O veterano cantor curitibano Marco D’Lacerda aproveitou a reclusão devido a pandemia para colocar para funcionar a tão sonhada carreira solo. O resultado é o disco Imprevisível, em EP com quatro músicas que chega esta semana às plataformas digitais.Confira todas as músicas do disco: https://ps.onerpm.com/1482470550. A música “Imprevisível” tem uma letra que analisa o comportamento humano: “Ela é uma perspectiva positiva sobre a existência, uma espécie de autoafirmação que se faz necessária quando nos sentimos inseguros, desacreditados, ou desconectados de nosso potencial. Esta conexão e epifania com as demais músicas não foi proposital, principalmente no que diz respeito à superação de situações adversas, como as cantadas nos versos de ‘Último Cigarro’ e ‘Mundo Canalha'”, explica Marco. O EP Imprevisível marca uma nova etapa na carreira do artista: “Eu estava há anos transitando entre nichos bastante distantes, e Imprevisível está dentro da gama de diferentes possibilidades destes mundos. No disco, temos quatro músicas que são opostas e complementares entre si. Está sendo muito natural para mim”, argumenta.