Escolha uma Página

Marcelo Moreira

 


– Institution – Pancadaria no mais puro nível insano, com o hardcore em português comendo solto em letras de cunho social e político. Lembra um pouco a verve pesada e veloz do Surra, mas aqui a banda coloca um pouco de melodia nas nove músicas de “Ruptura do Visível”. Uma porrada que em breve colocará o nome da banda entre as principais do hardcore nacional.

 

– Basttardos – Hard rock honesto e confiável, misturando bem o sarcasmo com doses de papo sério. Banda bacana, e “Nós Somos o Bando” soa descompromissado, de certa forma, mas é apenas aparência. Há boas doses de humor, mas também há climas sombrios, como em “O Coveiro” e “Livrai-os do Mal”. Há até rock rural, com a curiosa “Homem do Campo”, que lembra o Matuto Moderno. Variado, esse disco chama a atenção pela simplicidade e pela qualidade.

 

– Distort – Thrash e death de boa qualidade nesta banda que traz Cristiano Fusco, ex-guitarrista do Torture Squad. “New Terror Against Greed” é praticamente uma regravação de um trabalho da banda lançado há muito tempo e é uma senhora porrada. As guitarras comandam tudo e moem o cérebro em fixas como “Mad As a Hatter” e “Shotgun”. Um retorno e tanto.

 

– Navighator – Este ambicioso projeto do tecladista Marcos Medina é uma das boas novidades do metal nacional. O álbum “Navighator” traz uma série de canções progressivas e pesadas, onde a versatilidade é uma das características. Há muitos convidados, mas o destaque mesmo são os teclados bem balanceados e composições muito bem feitas, como “Waves”.

 

 Vulcane – Grupo do interior de São Paulo (São João da Boa Vista) que mostra qualidades em seu thrash metal violento e progressivo, onde o EP “Hunger for the End” surpreende por trazer uma história conceitual curta, mas interessante. As guitarras berram alto o suficiente para não deixar nada no lugar e a parede sonora da seção rítmica demonstra qualidade e força para empurrar a banda à frente. A melhor música é “Stay Strong”.